boo-box 1

domingo, 3 de maio de 2015

Conveniência






Fale que você vem,

que eu vou de trem,

pois qualquer desculpa me convém.

Para sair na rua,

para mudar a nossa conduta.

Para te ver toda nua.




Hoje eu sei que não sou mais o mesmo,

cansei de brigar com o tempo.

Ser um palhaço sem sentimentos.

Para te fazer sorrir.

Só porque um sorriso lhe cai bem.




Por que você não me chama para dançar?

Ir para qualquer lugar,

tomar um gole de vinho.

Achar o mundo mais bonito.

Mas tudo lhe convém.

Para ser amado,

para ser ninguém.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Cela





E qual é o homem que não inspira outras pessoas a se libertarem dos seus medos?
Eu que não aprendi a julgar os meus pesadelos,
Vivo sentado no quanto escuro do meu quarto.
Eu de que a coragem não tenho um décimo.
Aprendi a pedir misericórdia dos meus erros.

E qual é o homem que não se entrega a seus devaneios?
Eu que tive o luxo das vaidades,
Aprendi que o silêncio faz bem a alma.
Que o salmão e o vinho.
Tem o mesmo gosto que o pão e a água.

E qual é o homem que não se quer ver livre de suas correntes?
Eu que estou preso aos meus pecados,
Tenho sonhado a cada dia com a bendita liberdade.
Mas não consegui seguir seus conselhos
Eu que já andei em campo livre.
Não vejo a esperança além da cela.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Quebre a Janela.





Quebrei a janela,
E o amor queimou minha face.
Achei uma brecha,
Para a liberdade.

Quebrei a janela
E o muro feito de mentiras,
Passei por cima.
A minha vida era falsa.
Era de aquarela.
Desfazendo-se na chuva.
Deixando sequelas.

Quebre a janela.
Faça uma corda com seus preconceitos,
E desça para a rua.
Venha festejar,
Cantar tudo que é belo.
Quando estamos felizes,
É porque  Deus tocou nossa alma.

Quebre a janela.
Deixe a porta aberta.
Deixe que o vento sopre.
Que os espíritos gritem.
Que a vida aflore.
Que o a amor nos liberte.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Mug.




Mug.

Poderia ter tudo,
Mas preferi jogar tudo fora,
Como um copo de bebida amarga,
Que se esvazia e sasseia a fome de novas coisas.

Eu poderia ir ao seu casamento.
Mas preferia ficar quieto.
Chorando no cimento
Interpretando mais um míope ciumento.

Eu poderia estar na sua formatura
Bebendo e comendo às suas custas.
Mas preferir ter um trabalho incompleto.
E não tive capacidade para pedir desculpas.

Eu poderia estar no seu jantar
Mas a vida é algo frágil,
Bobagem!
Muito curta.
Para fica sentado no sofá
E viajar num livro de aventuras.
Criei ilusões,
E agora, não sei sair das minhas loucuras.
Por favor apague a luz,
E deixe eu esvaziar minha cota de luxurias.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Errado










Eu não quero estar errado.

Quando você machucar seus pés no deserto.

Que você criou entre nós.



Não quero estar errado

Quando você se afogar no mar de lágrimas

Quando você me ver pela última vez.



Não quero ver o seu coração sagrar

Quando você murmurar meu nome

E se jogar do último andar

Abraçando a morte ao invés de me abraçar.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Boa Noite...



Tenho medo daqueles e daquelas,
que assombram que "somam"
meus pesadelos noites a fio.
tenho receio dos meus pesadelos 

Eu sei que é cedo.
para tomar conta do meu conciente 
inconcientemente 
sei que ele não sai da minha mente

Tenho medo dos inquietos 
dos dedos que estalam
se conversam 
de mentes que se comunicam 
se conversa suja 
achadas no lixo.

Não é tão frio
mas me causa arrepios
me externa calafrios
e mesmo que beije a morte
e só queria dizer:"boa noite".

sábado, 3 de janeiro de 2015

Porta Retrato




Vou trancar você em uma foto.
E dizer que você é minha e de mais ninguém.
O mundo dá voltas, eu sei.
E memórias são esquecidas com o vento.
Só queria uma forma de prender seu sorriso.
Para iluminar minha manhã,
E aquecer minhas noites.
O mundo está cruel. 
E acho que um sorriso lhe cai bem.
Para momentos difíceis,


Dos seus lindos olhos lembrarei 
E sei que o nosso futuro eu salvei
E por aqui está tudo bem...

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Ano que Vem...





No ano que vem,
Não farei promessas tolas.
Não machucarei a quem tanto amo ou amei.
Serei mais Justo, Mas compassivo.
Não jogarei suas flores fora
serei um bom homem, um bom marido.


No ano que vem,
Serei tão forte quanto teu sorriso.
e amarei mais meus inimigos
para que eles aprendam a não me inveja mais
mas admirar meus talentos.

No ano que vem,
Serei mais fiel ao meus valores
Brincarei mais com as crianças
aprenderei mais com as minhas dores
serei mais feliz com meus amores.

Ano que vem,
que Deus ilumine meus passos
que não falte esperança para continuar
que novas conquistas seja alcançadas pelos meus braços
e que nao me falte fé para perdoar.
no ano que vem...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Odisseia Paralela








Era tudo ilusão
eu que tinha o mundo em minhas mãos.
Como um deus.
Amanheço mortal.

Pensava que tudo era amor.
Mas não passava de dinheiro.
Sujo,
então tudo se tornou desejo.
As paredes que eram brancas
ficaram com a cor dos seus dentes
amarelas.

Eu pensei que tudo me pertencia
que era natural, não uma fantasia.
Que a ganancia não me atingiria
que seria imortal.

Tudo que precisava
Encontrava num copo de bebida.
Oceano de álcool e prazer
mas veio o seu sorriso
e fiquei louco logo após ao amanhecer.

As noites não era mais frias
e os pesadelos não eram mais insuportáveis.
As personagens não eram de mentiras.
Os sapatos se tornaram confortáveis. 

O vento levou meu amor
a chuva lavou minhas lágrimas.
As noites velaram meu sono
e o dia resplandeceu de graça.

Mas tudo era ilusão.
Tudo fugia das minhas mãos.
Eu que pensava que era deus,
Amanheço mortal.

sábado, 4 de outubro de 2014

o Amor não Bastará.



Quando as luzes se apagarem
O seu beijo será uma bela surpresa.
Vamos sair,
Passear 
Correr para qualquer lugar 
Pois a vida é curta 
E o amor não bastará.

Quando o vento sobrar 
E nos seus braços a vida encontrar 
Quando nada mais adiantar 
Teremos uns aos outros 
E filhos para cuidar.

Quando o inverno invadir sua garagem 
E a simpatia der passagem 
Para a solidão,
Você sempre estará linda 
E viva em meu coração.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Do meu Jeito.

.




É vou fazer por mim mesmo,
Sair e derramar sangue nas ruas,
Vou atropelar meu tédio,
Estou armado com TNT
Vou explodir a lua.

É vou fazer eu mesmo
Vou matar o tempo
E qual é o homem que das suas consequências não é seu prisioneiro?
Vou fumar o bagulho e cortar meus pulsos
Para ver meu sangue lavar meus pecados
E abraçarei a morte como se fosse meu fiel companheiro.

É vou pôr um ponto final nisso e naquilo
Vou vender sanidade em saquinhos
Pois o verde dos seus olhos não é mais bonito
Do que o sonho de liberdade pregado por Jesus Cristo...

Vou correr os riscos
Fazer do meu jeito
E se nada der certo
Vou juntar minhas coisas
E queimar esses versos.

domingo, 17 de agosto de 2014

Colecionar.




As vezes só quero ouvir sua voz,
Falar qualquer besteira.
Para alimentar minha alma
De uma alegria infinita...
As vezes só quero suas mãos
Para acariciar meu rosto...
Para limpar minha lágrima de tristeza

As vezes quero o seu sorriso
Para iluminar meu caminho,
Para saber que nunca estou sozinho,
Para lembrar que ainda sou menino
Seu menino.

As vezes quero suas lágrimas
Para colecionar seus sentimentos
Para guardar nossos momentos
Para lavar minha alma de todo o pecado
Para redimir meus erros
Para escrever poemas
Para compartilhar amor
Mas ganhar da morte
Para enfrentar o que for....

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Noturno - Ariano Suassuna








Noturno

Têm para mim Chamados de outro mundo
as Noites perigosas e queimadas,
quando a Lua aparece mais vermelha
São turvos sonhos, Mágoas proibidas,
são Ouropéis antigos e fantasmas
que, nesse Mundo vivo e mais ardente
consumam tudo o que desejo Aqui.

Será que mais Alguém vê e escuta?

Sinto o roçar das asas Amarelas
e escuto essas Canções encantatórias
que tento, em vão, de mim desapossar.

Diluídos na velha Luz da lua,
a Quem dirigem seus terríveis cantos?

Pressinto um murmuroso esvoejar:
passaram-me por cima da cabeça
e, como um Halo escuso, te envolveram.
Eis-te no fogo, como um Fruto ardente,
a ventania me agitando em torno
esse cheiro que sai de teus cabelos.

Que vale a natureza sem teus Olhos,
ó Aquela por quem meu Sangue pulsa?

Da terra sai um cheiro bom de vida
e nossos pés a Ela estão ligados.
Deixa que teu cabelo, solto ao vento,
abrase fundamente as minhas mão...

Mas, não: a luz Escura inda te envolve,
o vento encrespa as Águas dos dois rios
e continua a ronda, o Som do fogo.

Ó meu amor, por que te ligo à Morte?



Uma Singela homenagem para um dos maiores mestres do sertanejo nordestino um Pensador com P maiúsculo, um gênio que foi para abençoar o Sertão lá de cima junto com Maria Aparecida...
Related Posts with Thumbnails